O encontro deste ano quer lançar um olhar ecológico sobre o crescimento das cidades em direção às zonas rurais, em uma temática inédita: O DESENHO DA PAISAGEM como planejamento para a ligação entre a cidade e o campo.

Como está essa zona de transição e por que ela é importante?
 

Como podemos VER, CRIAR, SOLUCIONAR, TRANSFORMAR E PLANTAR essa paisagem utilizando nossos multi-conhecimentos sobre ARQUITETURA, URBANISMO, AGRONOMIA, MEIO AMBIENTE, PERMACULTURA?

 
A maioria das cidades cresce degradando fortemente a paisagem natural e rural, com o objetivo de gerar mais moradias, alimentos e bens pessoais. Estes impactos diminuem nossa qualidade de vida e afetam meio ambiente, educação, infra estrutura, mobilidade e oportunidades de trabalho.

Muitas vezes, o desenho urbano implantado não contempla o que realmente as pessoas necessitam para viver, trabalhar, se divertir e se relacionar, sendo fruto de um modelo econômico e social doentio. Por exemplo, a desvalorização das pessoas do campo torna a agricultura cada vez mais distante, mecanizada e tóxica para a nossa saúde.

Analisando pela geometria urbana, vemos a imposição do desenho de um “xadrez perfeito”, mas que ocasiona diversas patologias na paisagem, como  inundações, erosões e poluições da terra e da água.
Podemos ter uma visão realista e positiva do futuro! A ideia não é somente solucionar, reformular ou reformar o existente (rural e urbano), pois, isso já está sendo discutido em prefeituras, universidades, associações e coletivos.

A IDEIA É ORGANIZAR E HARMONIZAR A ZONA DE TRANSIÇÃO ENTRE A CIDADE E O CAMPO, pensando através de uma VISÃO AMPLA DA PAISAGEM (macropaisagismo): analisando potencialidades de cada local, acreditando na ação transformadora de indivíduos, comunidades e instituições na criação de novos modelos mais integrados e resilientes.

resiliencia

E, por que o desenho é tão importante? O desenho é o planejamento, o projeto ideal de engenharia, arquitetura, saneamento, mobilidade e áreas verdes. Todas estas organizações são implantadas através de um desenho (planejado ou não!).
 
Nestes desenhos abaixo está ilustrada como a organização das cidades evoluiu até hoje, no modelo INDUSTRIAL. E um exemplo de como poderia ficar, seguindo o MODELO REGENERATIVO.
 
 

SISTEMAS DEGENERATIVOS X SISTEMAS REGENERATIVOS
por John Lyle
tabela
Como o PAISAGISMO pode colaborar para preservar, regenerar e harmonizar o ambiente natural em pequenas e novas cidades do século XXI.
Estamos em contato com muitas pessoas ligadas a esse pensamento, desde paisagistas, arquitetos, urbanistas, permacultores, incorporadores, engenheiros e habitantes que vão nos ajudar a preparar palestras e vivências muito importantes e especiais.
A minha equipe e eu te convidamos a vivenciar e discutir essas novas possibilidades!
Fique ligado nas atualizações!
Um abraço
Toni Backes

Pin It on Pinterest